28/06/2011

Exame de sangue para detectar câncer de mama

- Um simples exame de sangue poderá detectar o câncer de mama mais precocemente do que os métodos de diagnóstico atuais em mulheres com histórico familiar desse tipo de tumor. A médica Jacqui Shaw , do Departamento de Estudos do Câncer e de Medicina Molecular da Universidade de Leicester, no Reino Unido, diz que o objetivo é desenvolver testes simplificados que possam ajudar a identificar o problema e monitorar o tratamento.

- Um simples exame de sangue poderá detectar o câncer de mama mais precocemente do que os métodos de diagnóstico atuais em mulheres com histórico familiar desse tipo de tumor. A médica Jacqui Shaw , do Departamento de Estudos do Câncer e de Medicina Molecular da Universidade de Leicester, no Reino Unido, diz que o objetivo é desenvolver testes simplificados que possam ajudar a identificar o problema e monitorar o tratamento.


“O potencial dessa pesquisa é que a detecção precoce pode ajudar os médicos a decidir por terapias em uma fase inicial, o que traz mais sucesso para os pacientes”, disse Shaw. Segundo ela, há mais de 10 anos a equipe de Leicester vem trabalhando no diagnóstico por exame de sangue para diagnosticar e monitorar o câncer de mama. “Resultados anteriores forneceram um marcador sanguíneo para pacientes com câncer de mama HER-2 positivo”, contou.


O estudo atual vai receber financiamento da organização não governamental Maria Tilton Research Fellowship. A instituição foi fundada em memória de Maria Tilton, paciente que perdeu a batalha contra o câncer de mama aos 49 anos. Durante sua luta, tornou-se financiadora da campanha Hope Against Cancer. “Maria era uma mulher maravilhosa, positiva e corajosa. Ela disse que sua cura dependia de um milagre médico e é a isso que se refere o Hope Against Cancer. Embora ela não tenha encontrado uma resposta a tempo, sua fé e determinação diante de tamanha adversidade nos convenceu a continuar nossos esforços para levantar fundos não apenas em sua memória, mas também à de muitas outras pessoas afetadas por essa doença”, afirmou Wendi Stevens, que faz parte da organização.


Enquanto o exame de sangue ainda não é possível, a mamografia continua salvando a vida de mulheres que conseguem a detecção precoce do câncer de mama. Um estudo divulgado ontem pela Universidade de Londres mostrou que o teste por imagem feito com regularidade ainda é a melhor forma de evitar a morte pela doença. Os pesquisadores monitoraram 130 mulheres ao longo de três décadas, desde a primeira mamografia que fizeram, e compraram os índices de sobrevivência a outro grupo, que não se submetia ao exame.


O estudo mostrou que a mamografia, ao longo desse tempo, salvou pelo menos uma mulher em cada 400. No outro grupo, o índice de mortalidade foi 30% maior. De acordo com Stephen Duffy, um dos autores da pesquisa, quanto maior o prazo de exames regulares, maiores as chances de sobrevivência. “O câncer de mama pode levar muitos anos para se desenvolver, então precisamos acompanhar as mulheres ao longo do tempo”, explicou.